> > > Pascoal Vita

Pascoal Vita

Pascoal Vita
O escritório Bernardes Arquitetura projetou, em São Paulo, o edifício Pascoal Vita. O prédio tem 12 pavimentos e uma vista exuberante dos bairros adjacentes Foto/Imagem:Esphera Virtual

Pascoal Vita

Texto: Naíza Ximenes

Em um lote de esquina de 1.630 metros quadrados, o prédio projetado pelo escritório Bernardes Arquitetura ganhou o mesmo nome de uma das ruas em que ele se situa: Pascoal Vita. O edifício fica na Vila Beatriz, um bairro nobre da capital de São Paulo, e tem uma vista deslumbrante para os bairros adjacentes.

Devido à legislação local, esses bairros não podem ter construções muito altas, o que resulta em uma vista única na direção oeste da obra.

O terreno, no entanto, não tinha aspectos técnicos padrões, mas, segundo o arquiteto Thiago Bernardes, esse tipo de “entrave” é o que possibilita os grandes insights na arquitetura. No caso do Pascoal Vita não foi diferente.

Marcado por um declive significativo e formato trapezoidal, o edifício foi dividido em 12 pavimentos, sendo três deles abaixo do nível da rua. Assim como a altura da construção, o número de apartamentos também é reduzido, já que o edifício abriga apenas 12 unidades.

Os dois primeiros andares e os dois últimos possuem dois duplex em cada, ao passo que os pavimentos tipo ganharam dois apartamentos padrões por andar.

Vegetação: a prioridade

Em entrevista à Galeria da Arquitetura, Dante Furlan, também arquiteto no Bernardes Arquitetura, conta que a vegetação sempre foi uma das prioridades no projeto do Pascoal Vita.

Ela está presente tanto no primeiro subsolo, onde há uma entrada de carros com vista para a rua, quanto no térreo e na fachada de todos os apartamentos — motivo pelo qual a equipe também investiu em um complexo sistema de irrigação e drenagem automáticos. As floreiras ainda são envoltas por baixas muretas de alvenaria de 53 centímetros de altura.

No terceiro subsolo, a rampa de acesso leva os moradores ao estacionamento com 16 vagas, além de um hall social, hall de serviço, depósito, reservatórios e área técnica. O segundo subsolo compartilha da mesma rampa, com acesso a outras 26 vagas. As amenidades seguem o mesmo programa de necessidades em ambos os andares.

O primeiro subsolo é um dos destaques do projeto. Isso porque, além das 11 vagas de carros, hall social e de serviços, área técnica, reservatório de água da chuva para irrigação sustentável, banheiro e área de estar de funcionários, cada apartamento ganhou uma oficina nesse andar, que pode ser adaptada de acordo com as preferências dos proprietários. O pavimento também usufrui de um design único, que, por conta do declive no terreno, ganhou uma saída de carros no nível da rua, bem como entrada para pedestres.

O térreo também foi projetado com uma solução peculiar. Para proporcionar maior privacidade e aproveitamento da rua — já que o pavimento também abriga áreas de lazer como academia, sauna, spa, piscina com raia de 25 metros e uma claraboia generosa —, todo o andar foi construído com uma elevação significativa em relação à entrada do edifício.

Há, ainda, um deck, um grande pátio-jardim marcado por densa vegetação e uma escada circular envolta por ripas de madeira cumaru que se estendem por metade das paredes do local.

As outras paredes foram revestidas por painéis de policarbonato translúcido acinzentado. “Os volumes e canteiros do paisagismo seguem linhas fluídas, em contraposição às linhas da arquitetura”, explica o escritório.

escada circular do edificio pascoal vita coberto por ripados de madeira Escada circular do edifício Pascoal Vita


A escada leva às áreas de acesso comum e privadas de cada unidade, no primeiro andar. No segundo pavimento, encontram-se áreas de apoio de um lado e andares inferiores de dois duplex em outro — unidades que ocupam segundo e terceiro andares. Eles são acompanhados de uma extensa varanda em C, que circunda os apartamentos e compõe a fachada do Pascoal Vita. Um dos duplex tem duas suítes, na porção sul, e o outro tem três suítes, na porção norte.

Em todos os apartamentos, sem exceção, as áreas sociais ficam voltadas para oeste, onde a vista é desobstruída. Apesar do visual, a disposição criou outro desafio para a equipe de arquitetos: a contenção da luz solar no período da tarde.

Pensando nisso, eles optaram pela inclusão de sombrites (ou toldos) em toda a extensão das varandas. Para maior conformidade com o design do prédio, eles ganharam um material translúcido acinzentado e automatização com sensor de vento, que podem ser abertos ou fechados manualmente.

Entre o quarto e oitavo andares, estão os apartamentos tipo, que podem ter de 319 a 443 metros quadrados. O esquema segue o de duas unidades por andar, podendo ter quatro ou cinco suítes cada um. A entrada acontece pelo meio do corredor central, levando a um hall social com passagem para a sala de estar, sala de jantar, cozinha e varanda. Na porção oposta às áreas sociais, estão suíte master, closet, banheiros, suítes, sala íntima, quarto para funcionários e ambientes de serviço.

No novo pavimento até a cobertura, ficam os outros dois duplex, com a mesma planta dos duplex inferiores. Há poucas alterações, por conta da escada de acesso ao terraço, equipado com churrasqueira, área gourmet e piscina privativa. Juntos, todos os apartamentos somam 7.884 metros quadrados.

Confira outros projetos de Bernardes Arquitetura:

Escritório

Bernardes Arquitetura22 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2018
Conclusão da obra: 2023
Área do terreno: 1630
Área construída: 7930

Tipo de obra:
Edifícios Residenciais
Tipologia:
Residencial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Slideshow Desenhos e plantas

Receba gratuitamente os Boletins e
Informativos da Galeria da Arquitetura.

(55 11) 3879-7777

Fale conosco Anuncie

Outros produtos da e-Construmarket

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo