> > > Edifício Igara

Edifício Igara

Edifício Igara
O desejo por espaços amplos e qualificados, bem como por mais contato com a natureza adquiriu senso de urgência, impactando a concepção arquitetônica de forma contundente do Edifício Igara Foto/Imagem:Studio VIR e Cité Arquitetura

Edifício Igara

A pandemia de Covid-19 impôs uma série de transformações sociais, alterando o modo de trabalhar e de morar nas cidades. O desejo por espaços amplos e qualificados, bem como por mais contato com a natureza adquiriu senso de urgência, impactando a concepção arquitetônica de forma contundente.

Foi em meio a esse contexto que os arquitetos Celso Rayol e Fernando Costa, do Cité Arquitetura, desenvolveram o Edifício Igara, no Alto Leblon. Trata-se de um tributo à memória da cidade, bem como uma resposta às condicionantes locais e ao momento histórico.

Repleto de elementos simbólicos de exaltação ao ambiente natural, o prédio com somente 16 unidades ocupa um terreno de esquina entre as ruas Igarapava e Sambaíba. O nome das duas ruas foi um ponto de partida para o desenvolvimento do conceito. Igarapava, termo de origem tupi que significa porto de canoas, ajudou a batizar o edifício. Já Sambaíba, um arbusto do cerrado, influenciou a concepção da torre que, como uma árvore, possui um embasamento sólido e um corpo menos rígido, com gradis que funcionam como galhos. “O Igara resgata a cor da terra sempre foi muito evidenciada na história da arquitetura brasileira, mas com o passar do tempo, foi se perdendo nos projetos urbanos”, comenta Rayol.

As características do lote, com desnível entre as duas ruas exigiu um cuidadoso trabalho de implantação para compatibilizar diferentes níveis e acessos e estabelecer uma relação amigável com o nível do pedestre, levando mais jovialidade e frescor a uma área marcada por prédios mais antigos.

Com fechamento de vidro retrátil, as varandas têm protagonismo no projeto, ocupando fração significativa da metragem das unidades. Fernando Costa conta que, nos bairros da zona sul do Rio, como os terrenos são pequenos, a tentativa de melhorar o aproveitamento do espaço conduziu muitos arquitetos a voltar os quartos para prismas internos. “No Igara, conseguimos evitar essa situação aproveitando a riqueza de perímetro que o terreno nos oferecia. Com isso, integramos salas e quartos a esses espaços semiabertos, levando mais luminosidade, ventilação e sensação de liberdade às unidades”, continua Costa.

Para reforçar a integração com cidade, a torre no Alto Leblon tem, em sua cobertura, um terraço-jardim. O local, com horta e espécies da restinga, oferece mais uma oportunidade para o usuário contemplar a vista privilegiada para o entorno arborizado e para o mar.

 

Veja outros projetos na Galeria da Arquitetura:

Medley, por Anastassiadis Arquitetos

Edifício 1232, por Arquea Arquitetos

Edifício Tribo São Judas, por Onze Arquitetura

Escritório

Cité Arquitetura10 projeto(s)

Local: RJ, Brasil
Início do projeto: 2020
Área construída: 2.787

Tipo de obra:
Edifícios Residenciais
Tipologia:
Residencial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Slideshow

Receba gratuitamente os Boletins e
Informativos da Galeria da Arquitetura.

(55 11) 3879-7777

Fale conosco Anuncie

Outros produtos da e-Construmarket

novidades fechar
Receba o boletim da
Galeria da Arquitetura
veja um exemplo