> > > Bambu Atmosfera

Bambu Atmosfera

Bambu Atmosfera
Projetado pelo escritório Perkins&Will, o edifício Bambu Atmosfera chama atenção dos moradores de Ubatuba, no litoral paulista, pelo design contemporâneo Foto/Imagem:Nelson Kon

Bambuzal contemporâneo

Texto: Naíza Ximenes

No litoral norte paulista, na cidade de Ubatuba, o escritório de arquitetura Perkins&Will projetou um edifício repleto de alusões ao cenário praiano: o empreendimento residencial Bambu Atmosfera. Com uma localização privilegiada (a poucos metros da praia) e quase seis mil metros quadrados de área construída, o prédio ganhou lazer completo e cinco tipos diferentes de apartamentos.

O projeto é fruto de uma parceria de longa data entre o escritório de arquitetura e a Atmosfera Incorporadora, especializada em empreendimentos na cidade litorânea. O Bambu Atmosfera já é a sétima colaboração entre eles.

Ao caminhar pela via que contorna o prédio, fica fácil imaginar o motivo pelo qual ele foi chamado de “bambu”. O material, protagonista do projeto, não só compõe vários elementos da fachada — em especial, os painéis articulados —, como também contribui para uma arquitetura responsável e vernacular (ou seja, caracterizada pelo uso de materiais e conhecimentos locais).

Além de ter custos menores e fazer uma homenagem à tropicalidade da cidade, o bambu é um ótimo aliado em termos de sustentabilidade, já que a espécie cresce intensamente na região. 

Utilizando um recurso natural abundante de Ubatuba, leve e duradouro, a equipe de construção percebeu uma redução significativa nos custos relativos ao transporte, ao manejo e à aplicação do material, diminuindo a pegada de carbono da obra.

O bambu no Bambu

O terreno onde fica o Bambu Atmosfera tem 1.843 metros quadrados, em um cenário cercado por natureza. A área construída, no entanto, totaliza números muito maiores: 5.900 metros quadrados. Isso porque o complexo tem quatro andares e meio — conforme o permitido pela legislação local — e foi construído em formato de “U”, contornando o ecossistema da região.

O vão central da estrutura permite que todos os modelos de apartamento tenham vista direta para o mar e atua como um ponto de convergência entre as amenidades do edifício, que incluem área fitness, salão de jogos, lounge, biblioteca, lavanderia e as áreas Garden (espaços privativos com jardins, de frente para o mar).

Com térreo elevado para reduzir a necessidade de escavações, cada andar abriga 11 apartamentos, sendo que os de esquina são os que possuem a maior metragem. Os cinco tipos de apartamento têm entre 62 e 110 metros quadrados, com a possibilidade de unir duas ou mais unidades.

No último pavimento, estão as três coberturas, o terraço, o jardim e outro grande destaque da obra: a piscina. A 20 metros do chão, o espaço ganhou uma vista deslumbrante do oceano no horizonte e um design esverdeado, completamente integrado ao entorno.

passarelas entre duas torres de um prédio com guarda-corpos de vidro e detalhes em madeira

Passarelas em balanço unificam as extremidades da estrutura em "U"

Vale mencionar, ainda, que as extremidades de toda a estrutura são interligadas por passarelas em balanço, com o mesmo design contemporâneo dos corredores — marcados por vidro, metal preto e detalhes em bambu. Os elevadores — revestidos por painéis de madeira de bambu composto, espelhos e forro de ripas de bambu — seguem a mesma proposta.

Na área externa, três materiais marcam o revestimento da fachada: o bambu, o cobre oxidado (ou seja, na cor verde) e a madeira ripada. Todos os apartamentos ganharam varandas com painéis móveis de bambu — que dão autonomia em relação ao controle de visibilidade interior e protegem os interiores da insolação direta —, beirais que contornam esses painéis e forro de madeira ripada no teto das sacadas. O cobre também foi aplicado em toda a entrada do edifício e na área da piscina.

Segundo o diretor de Design no estúdio São Paulo da Perkins&Will, Douglas Toulaine, o intuito do design era criar um aspecto de “bambuzal contemporâneo” com a combinação dos tons de verde e de materiais que se transformam com o tempo. A escolha pelo bambu ainda foi justificada pela sua adaptabilidade ao clima quente e úmido, devido ao conforto térmico que proporciona.

Por fim, reforçando o compromisso sustentável do escritório, o empreendimento ganhou Estação de Tratamento de Esgoto e resíduos (ETE), lixeiras específicas para recicláveis, caixa de retardo de água pluviais e de armazenamento para reuso de águas cinzas.

Confira outros projetos de Perkins&Will:

Escritório

Perkins&Will36 projeto(s)

Local: SP, Brasil
Início do projeto: 2019
Conclusão da obra: 2023
Área do terreno: 1843
Área construída: 5900

Tipo de obra:
Edifícios Residenciais
Tipologia:
Residencial

Materiais predominantes:

Diferenciais técnicos:

Ambientes e Aplicações:

    Slideshow Desenhos e plantas

    Ficha Técnica

    Exibir mais itens

    Receba gratuitamente os Boletins e
    Informativos da Galeria da Arquitetura.

    (55 11) 3879-7777

    Fale conosco Anuncie

    Outros produtos da e-Construmarket

    novidades fechar
    Receba o boletim da
    Galeria da Arquitetura
    veja um exemplo